O Dr. João tem um grande currículo, aprimoramento constante, participa de palestras e cursos mundo afora, mas seu consultório é digamos, um pouco desatualizado, normalmente a secretária do Dr. João não é lá muito cortês com seus pacientes, masca chiclete, está toda hora com seu celular nas mãos, rindo de alguma mensagem ou postagem que recebeu em sua rede social particular.

E o que dizer das antigas revistas que estão à disposição para os clientes “se distraírem” enquanto aguardam chegar sua vez, por às vezes até mais de uma hora, e quando finalmente entram em sua sala, o Dr. João os recebe de forma meio fria, sem se desculpar ou justificar-se pelo atraso.

Então o que deve estar pensando, a esta altura, esse paciente que não deixa de ser um cliente, pois ele já viu algo errado nas atitudes da secretaria, depois na falta de opções melhores pegou uma revista de 2013 para ler, escutou comentários de demora de outros pacientes e quando chegou a sua vez o Dr. João o consultou rapidamente, mau olhou em seu rosto, pediu alguns exames e o dispensou.

Depois disso, metade do excelente currículo do Dr. João foi posto à prova pelo paciente e também pelo acompanhante, que muitas vezes é um parente direto como pai, mãe, filho ou irmão.

Não quero dizer que médicos como o “Dr. João” sejam a grande maioria, mas este fato acontece em muitos consultórios e clínicas médicas e é apenas a ponta do iceberg no que se refere ao pouco uso do marketing e comunicação aliados à medicina.

Sua forma de relacionar-se com seus pacientes deve ser levada tão em conta quanto seus diplomas e especialidades, hoje o paciente questiona, argumenta, quer receber de seu médico um atendimento extremamente humanizado.

Sabe-se que médicos dispõe de muito pouco tempo para dedicar-se à outros estudos que não estejam diretamente ligados à sua área de atuação, mas o fato é que assim como na medicina, o marketing também é segmentado e há anos especializou-se para o público seleto da área da saúde.

Além de cuidar da aparência do ambiente físico de seu consultório ou clínica, os médicos também devem capacitar seus funcionários a prestarem um atendimento humanizado aos seus clientes-pacientes.

Nada contra as revistas, mas que sejam atuais e diversificadas, paredes brancas podem ganhar cores mais positivas como um leve tom de azul ou verde e no caso de ginecologistas, tons de rosa. Pediatras podem transformar até sua própria sala com desenhos nas paredes, tudo para que os pequenos e seus papais sintam-se mais acolhidos.

Para clínicas que agrupam profissionais de especialidades variadas é interessante ter um canal próprio de TV, que consiste na divulgação e informação dos serviços que a clínica oferece, além do mais, estes canais podem trazer informações úteis como dicas de alimentação, esporte, passeios, enfim, qualidade de vida. Para se ter um canal desses em uma clínica ou consultório basta contratar uma produtora de vídeos.

E para melhorar o atendimento da secretária, por que não investir em treinamentos que lhe ensinem como gerenciar os clientes de saúde e o verdadeiro valor que ela tem no empreendimento além de lhe oferecer oportunidades de crescimento, mesmo em um consultório, isso é possível!

Investir em marketing hoje é imprescindível, porque com marketing você pode conhecer as necessidades dos seus pacientes, fortalecer suas qualidades e corrigir suas franquezas, saber o que seus concorrentes estão fazendo de bom e de ruim também. Com marketing você pode atrair o público certo, se antecipar aos cenários negativos que possam vir e agregar valor a todo o processo de seu atendimento.

Blog Empresas com Sucesso